Conheça o Instituto Serrapilheira, a Primeira Instituição Privada de Financiamento de Ciência

Imagem de Capa: FAPEG/Divulgação

Vivemos um cenário nefasto para a ciência nacional. Cortes atrás de cortes colocam a própria continuidade da ciência no país em risco. Nesse cenário, qualquer forma de financiamento é muito bem-vinda. Eis que surge o Instituto Serrapilheira, com uma proposta de financiamento diferente do comum no Brasil, com fundos vindo de origem privada e particular, uma doação dos seus fundadores para o desenvolvimento da Ciência no país. Em 19 de Julho desse mês, o Instituto Serrapilheira anunciou sua primeira chamada pública para pesquisadores do país. Assim, o Mural Científico entrou em contato com a equipe do Instituto para conhecer melhor o Instituto e sua missão:

1 – Poderia nos contar quem são vocês, e quais seus papéis dentro do Instituto Serrapilheira?

Meu nome é Natasha Felizi, sou coordenadora de divulgação científica. As respostas são minhas, da Cristina Caldas (coordenadora de pesquisa científica), do Rodrigo Fiães, coordenador de relações institucionais, e do Aguilaniu, presidente do Serrapilheira.

2 – Nos conte mais sobre o Instituto. O que é o Serrapilheira, qual sua missão, e como pretendem mudar o financiamento de pesquisas no Brasil?

O Serrapilheira é uma instituição privada sem fins lucrativos, criada para valorizar a ciência e aumentar sua visibilidade e impacto no Brasil. Nossa missão é contribuir para a construção de uma cultura de ciência no país. Queremos identificar e apoiar os melhores pesquisadores no Brasil, além de iniciativas de divulgação científica.

A diferença na nossa maneira de financiar a ciência é que, por termos um orçamento bem menor que os das entidades públicas, não podemos agir da mesma forma. Por isso, vamos concentrar os recursos que temos em um número menor de projetos com grande potencial, ao invés de pulverizá-los. Além disso, somos uma instituição privada e por isso podemos dar ao pesquisador mais flexibilidade no uso dos recursos. E, pela mesma razão, temos mais liberdade para estimular projetos de pesquisa arriscados – sejam eles de ciência pura ou aplicada – que nem sempre encontram respaldo em outros órgãos de fomento.

3 – Nos conte um pouco mais sobre a chamada. Quem pode se candidatar? O que ganham os selecionados?

A primeira chamada pública do Serrapilheira é voltada para cientistas que tenham recebidos seus títulos de doutor depois de 1 de janeiro de 2007. Para mulheres com filhos, esse critério é flexível. Mulheres com um filho podem ter recebido o título depois de 1 de janeiro de 2006 e mulheres com dois ou mais filhos, depois de 1 de janeiro de 2005.

Além disso, os candidatos devem ter vínculos com instituições brasileiras que realizem pesquisa científica, sejam públicas ou privadas.

Num primeiro momento, serão selecionados 70 projetos com seed grants de até 100 mil reais. Depois de um ano, de 10 a 12 projetos dentre os 70 iniciais serão contemplados com aportes de até 1 milhão reais para 3 anos de pesquisa. Uma parte desse aporte será condicionada ao cumprimento de critérios de diversidade que serão definidos no decorrer deste primeiro ano.

As informações completas sobre critérios de elegibilidade, prazos e formato estão em www.serrapilheira.org.

4 – O Instituto Serrapilheira pretende abrir chamadas que também englobem estudantes de pós-graduação no futuro, aos moldes das instituições de fomento tradicional (FAPESP, CNPq, CAPES, etc)?

Temos a intenção de apoiar cientistas em diversos momentos de suas carreiras, seja por meio de chamadas públicas ou da busca ativa. Em vista das nossas características, sobre as quais comentei na Pergunta 2, acima, somos uma espécie de “pequeno laboratório de experimentos” e como tal vamos propor modelos novos e complementares à atuação destes órgãos.

5 – Quais vão ser os critérios da seleção?

Não há nada definido para processos futuros. Os critérios e o foco das chamadas públicas podem variar conforme os objetivos específicos do instituto.

6 – Algumas pessoas, ao ouvirem falar em financiamento privado de projetos científicos, imediatamente pensam em influência de grandes corporações sobre a ciência, como foi com a indústria do tabaco e estudos de câncer de pulmão em décadas passadas. O que vocês têm a dizer para tranquilizar essas pessoas?

O Serrapilheira é uma associação civil sem fins lucrativos. Não temos vínculo com empresas. Atuamos de forma independente, sob orientação de um Conselho de Administração e assessorados por um Conselho Científico de 12 cientistas de renome.


Se você é um pesquisador contratado – seja de alguma universidade ou instituição privada – confira a chamada! Se você é pós-graduando, aproveita para fazer uma média com o seu orientador e mostre-a para ele.

Parabéns ao Instituto e desejamos-lhe toda a sorte em sua missão!

sobre-o-autor-lucas-rosa

Anúncios