Uma epidemia de privação de sonhos

Traduzido de Neuroscience News

Uma epidemia silenciosa de falta de sonhos está nas raízes de muitos problemas de saúde atribuídos à falta de sono, de acordo com Rubin Naiman, PhD., especialista em sono e sonhos do Centro de Medicina Integrativa da Universidade do Arizona, EUA, que publicou recentemente uma revisão de dados científicos sobre o tema.

Sua revisão, denominada “Dreamless: the silent epidemic of REM sleep loss” (Sem sonhos: a silenciosa epidemia de falta de sono REM, em tradução livre), publicada no periódico Annals of the New York Academy of Sciences, detalha vários fatores que causam o sono REM (fase do sono de movimento rápido dos olhos) e falta de sonhos. Apenas tarde da noite e de manhã cedo as pessoas experienciam sonhos, durante o sono REM.

“Nós somos privados de sonhos na mesma proporção em que somos privados de sono”, diz o Dr. Naiman. Ele vê a perda de sono REM/perda de sonhos como um perigo desconhecido para a saúde pública que silenciosamente causa distúrbios contribuindo para doenças, depressão e problemas de atenção. “Muitas de nossas preocupações quanto à saúde atribuídas à falta de sono na verdade são resultado de privação de sono REM”.

A revisão examina dados sobre causas e extensão da perda de sono REM/perda de sonhos associada à medicações, desordens por uso de substâncias, desordens de sono e fatores comportamentais e de estilo de vida. Dr. Naiman então revisa as consequências da perda de sono REM/perda de sonhos e conclui com recomendações para manter um sono saudável.

 

Referências:

University of Arizona Health Sciences “Unrecognized Health Hazard of Sleep Loss: An Epidemic of Dream Deprivation.” NeuroscienceNews. NeuroscienceNews, 29 September 2017.
<http://neurosciencenews.com/dream-deprivation-sleep-loss-7619/&gt;.

Imagem em destaque: Domínio público

sobre-o-autor-gabriel-deschamps

 

Anúncios