A origem dos “hobbits” indonésios finalmente revelada

Traduzido e Adaptado do “EurekAlert!”, autor original: Aaron Walker

O estudo mais abrangente feito em ossos de Homo floriensis, uma pequena espécie humana encontrada na ilha indonésia de Flores em 2003, descobriu que eles provavelmente evoluíram de um ancestral na África e não de um Homo erectus como tinha sido amplamente pensado.

O estudo da Universidade Nacional Australiana (ANU, na sigla em inglês) constatou que o Homo floriensis, apelidado de “hobbit” devido à sua baixa estatura, foi provavelmente uma espécie irmã do Homo habilis – uma das mais antigas espécies humanas encontradas na África, há 1,75 milhões de anos atrás.

Os dados do estudo levaram á conclusão de que não há evidencia para a popular teoria de que o Homo floriensis evoluiu do muito maior Homo erectus, o único outro hominídio que se sabe ter vivido na região, com fósseis descobertos na ilha indonésia de Java.

A líder do estudo, a Dra. Debbie Argue da Escola de Arqueologia e Antropologia da ANU, disse que os resultados devem ajudar a esfriar um debate que foi ferozmente disputado desde que o Homo floriensis foi descoberto.

“As análises mostram que na árvore familiar, o Homo floriensis era provavelmente uma espécie irmã do Homo habilis. Isso significa que ambos compartilharam um ancestral comum,” diz a Dra. Argue.

“É possível que o Homo floriensis evoluiu na África e migrou, ou seu ancestral comum venho da África e evoluiu no Homo floriensis em algum lugar.”

Se sabe que o Homo floriensis viveu em Flores tão recentemente como há 54.000 anos atrás.

Enquanto as pesquisas prévias tinham se focado na sua maior parte no esqueleto e na mandíbula, este estudo usou 133 medidas, abrangendo o esqueleto, maxilares, dentes, braços, pernas e ombros.

A Dra. Argue disse que nenhum dos dados apoia a teoria de que o Homo floriensis evoluiu do Homo erectus.

“Nós observamos se o Homo floriensis podia descender do Homo erectus” ela disse.

“Nós descobrimos que se você tentar relacioná-los na árvore familiar, consegue um resultado sem fundamento. Todos os testes dizem que não encaixa – não é uma teoria viável apenas.”

A Dra. Argue diz que essa conclusão é apoiada pelo fato de que em várias características, como a estrutura do maxilar , o Homo floriensis é mais primitivo que o Homo erectus.

“Logicamente, seria difícil entender como se poderia ter dado essa regressão – porque o maxilar do Homo erectus regrediu à condição primitiva que nós vemos no Homo floriensis?”

A Dra. Argue diz que as análises podem também apoiar a teoria de que o Homo floriensis pode ter aparecido mais cedo na linha do tempo, há mais de 1,75 milhões de anos atrás.

“Se esse for o caso Homo floriensis pode ter evoluído antes dos primeiros Homo habilis, o que pode torná-lo realmente muito antigo,” diz ela.

O professor Mike Lee da Universidade Flinders e do Museu Sul-Australiano, usou modelagem estatística para analisar os dados.

“Quando nós fizemos a análise houve um claro apoio para a teoria da relação com o Homo habilis. Homo florisiensis ocupou uma posição muito primitiva na árvore evolutiva humana,” diz o profesor Lee.

“Nós podemos ter 99% de certeza de que ele não está relacionado ao Homo erectus e quase 100% de certeza de que não é um Homo sapiens com malformação” concluiu o professor Lee.

Referência: EurekAlert! e site da ANU.

Créditos da imagem de capa: Katrina Kenny, South Australian Museum.

sobre-o-autor-alejandro-rico

Anúncios