Povo san elabora um código de ética para os pesquisadores

Os chamados povos san são descendentes das etnias que originalmente habitavam a Botsuana e a África do Sul, no sul do continente africano. Há controvérsia sobre o nome que o grupo recebe, já que a palavra san é um exônimo, nome dado por outros povos e que frequentemente tem um sentido pejorativo. No caso o termo significa “forrageadores” e era usado pelos grupos rivais de nômades pastores. Antigamente também eram conhecidos como bosquímanos e na Botsuana os chamam de Basarwa. Todos esses nomes tem conotações mais ou menos negativas. O termo san é o mais aceito, mas eles preferem ser identificados através do nome dos distintos nações: entre elas estão os !Kung1, os ǀXam, os Juǀ’hoan e os Khwe (Khoi, Kxoe), entre outros. São mais conhecidos no Ocidente através do filme sul-africano de maior sucesso da história: Os Deuses devem estar loucos (1980), em que um homem san que vive no deserto do Kalahari, sem ter conhecimento do mundo exterior, encontra uma garrafa de Coca-Cola que parecia ter caído do céu.

Muitos san já abandonaram seu estilo tradicional de vida e hoje praticam a agricultura, enfrentando discriminação e a perda de suas terras por parte de outros grupos.

Atraem o interesse dos cientistas há muito tempo, por ser um dos grupos com maior diversidade genética do planeta, o que junto à outras evidencias, como as pinturas de milhares de anos das cavernas de Tsodilo, no noroeste da Botsuana, dão pistas de sua antiguidade.

No entanto, os san criticam o desrespeito à sua cultura que estaria sendo cometido pelos pesquisadores, que usam termos derrogatórios, como “bosquímanos”, não consultam os chefes das comunidades ao abordar os indivíduos para as suas investigações, além de não informá-los dos resultados antes dos artigos serem publicados. Outras transgressões incluem tirar fotos de menores de idade e mães em período de amamentação, ou oferecer propinas e outras vantagens indevidas.

Por isso, no começo de março foi publicado um código de ética para os pesquisadores que desejem estudar a comunidade.

Os pilares do código incluem :

  1. Respeito pela cultura desses povos e suas normas.
  2. Honestidade com os membros da comunidade.
  3. Justiça e Equidade com os participantes da pesquisa, para beneficiar os san e assegurar o respeito ao código.
  4. Cuidado com todos os envolvidos na investigação, especialmente os san, não tratando-os com condescendência e tampouco usando jargão científico incompreensível para eles.
  5. Método: respeitar os protocolos estabelecidos pelo código, que visam envolver a comunidade na elaboração, aprovação e publicação dos estudos.

Segundo a líder do South African San Council (Conselho San Sul-africano), Leana Snyders: “Nós não estamos dizendo que todos são maus. Mas tem aqueles poucos indivíduos que não respeitam os San”.

Agora a comunidade espera finalmente obter benefícios pela sua participação em pesquisas, sendo que estes não precisam ser monetários, podendo ser educacionais ou na forma de empregos.

O código pode ser consultado na seguinte página: Código de ética elaborado pelos san

Um vídeo que mostra opiniões de representantes da comunidade pode ser visto em:

https://www.youtube.com/watch?v=HOdw3mv7JSo

Referencias:

ScienceMag

MG.CO.ZA (Sobre a controvérsia em relação aos nomes)

sobre-o-autor-alejandro-rico

Anúncios