Flúor na água faz bem para a saúde?

Imagem de capa: Autor desconhecido, extraída de HowManyTrees

O Conselho Nacional de Pesquisa Médica e Saúde da Austrália (Australia’s National Health and Medical Research Council em inglês, NHMRC) divulgou um relatório concluindo que a fluoretação da água, como feita em vários países inclusive o Brasil, é seguro e benéfico contra a cárie dentária. Os resultados replicam, em grande parte, um estudo anterior da própria NHMRC, representando o mais completo levantamento sobre o tema já lançado.

O relatório foi realizado em resposta às preocupações da comunidade sobre a fluoretação, incluindo rumores que dizem que o Fluoreto é uma neurotoxina e adicioná-lo ao abastecimento de água está nos matando tudo lentamente. Conspiracionistas argumentam que a fluoretação é uma medida deliberada dos governos para tornar o povo dócil ao controle e à ditadura.

O fato é que o relatório conclui que: “A fluoretação da água reduz a cárie dentária de 26-44% em crianças, adolescentes e adultos”.  Por outro lado, o único efeito negativo na saúde associada a fluoretação é a fluorose, uma descoloração dos dentes que alguns podem considerar pouco atraente, mas geralmente é muito fraco para ser visto fora de um exame dentário. Especificamente, não foi encontrada associação com câncer ou redução das funções cognitivas associado ao Flúor na água.

Conclusão que corrobora o relatório de 2007 da NHMRC. O relatório concluiu que não houve efeitos negativos da saúde de flúor em concentrações de 0,6-1,0 mg/L, além de alguma descoloração dos dentes, e que muitas cavidades dentárias foram impedidas como resultado.

A aplicação local de fluoreto nos dentes tem dois efeitos. Primeiro, os íons flúor criam cristais que são um pouco mais resistentes ao ácido excretado pelas bactérias. Segundo, o fluoreto na superfície dos dentes serve como catalisador para a deposição de cálcio e fosfato, remineralizando o esmalte danificado e, assim, combatendo a cárie.

Referência: Relatório da NHMRC

Sobre o Autor - Mário

Anúncios