Estudo esclarece como o vírus Zika é capaz de infectar o feto dentro do útero

Imagem de capa: Autor desconhecido, encontrada na internet. Extraído de Dailystar

A relação entre o Zika e a microcefalia já não é mais motivo para debate. Desta forma, esclarecer os mecanismos pelo qual o vírus é capaz de infectar o organismo e exercer seu dano é fundamental. Um dos mistérios até o momento era como o Zika conseguia infectar o feto no útero, uma vez que o mesmo é protegido por diversas barreiras. Para esclarecer este mistério, um estudo foi publicado na Cell Host & Microbe, apontando que as chamadas Células de Hofbauer possam ser as culpadas.

As células de Hofbauer são células pouco estudadas, mas que são encontradas na placenta e aparentam ter papel imune, impedindo a transmissão de patógenos da mãe para o feto – o que é paradoxal. Porém, as células de Hofbauer possuem acesso direto à rede sanguínea que liga a placenta ao feto – logo, uma infecção nestas células daria ao patógeno o acesso livre ao feto.

E os achados da equipe parecem condizer com esta idéia. Anteriormente, os pesquisadores haviam encontrado partículas virais na placenta de um feto que faleceu devido à infecção por Zika. Isso levou a equipe à testar, utilizando uma pequena amostra de placentas de cinco doadoras, quais tipos celulares eram infectáveis pelo Zika. Os resultados apontaram dois tipos principais: As células de Hofbauer, e também células chamadas de citotroflobastos, sendo que estas eram menos eficientes para a replicação do vírus.

É possível, assim, que os vírus infectem os citotroflobastos e, à partir destes, cheguem às células de Hofbauer e tenham acesso à circulação placentária.

Fonte: EurekAlert

Sobre o Autor - Lucas Rosa.png

Anúncios