Modelo animal para infecção por Zika – uma arma valiosa

Imagem de capa: Inge Habex via wikimedia

Modelos animais são ferramentas extremamente importantes para a ciência. Ainda que não seja possível fazer extrapolações diretas dos resultados em animais para humanos (Ou seja, o que funciona em animais pode não funcionar em humanos, e às vezes vice-versa), esses modelos são úteis para avaliar quais técnicas e tratamentos são mais promissores para estudos mais aprofundados, em modelos mais caros ou em humanos.

Infelizmente, tais modelos não estavam disponíveis para estudo do vírus Zika, pois ratos de laboratório não eram susceptíveis à infecção pelo vírus. Ênfase no tempo verbal, pois um estudo publicado em 28 de março conseguiu elaborar um modelo eficaz.

7124392-3x2-940x627

Um surto de recém-nascidos com microcefalia no nordeste brasileiro foram associados à infecção pelo vírus Zika, deixando em polvorosa a comunidade científica (Foto: Reuters: Ueslei Marcelino)

Para fazer isso, os pesquisadores enfraqueceram o sistema imune dos animais até os mesmos serem susceptíveis. O modelo foi desenvolvido de maneira extremamente rápida, em apenas 3 semanas, devido à urgência da situação.

O modelo obviamente não é perfeito – o sistema imune enfraquecido dos ratos não aguenta a infecção, e a maioria morreu após 6 dias. Além disso, o mecanismo de infecção é pouco representativo da realidade de uma infecção por Zika. Ainda assim, será uma ferramenta extremamente valiosa para testar drogas, bem como um modelo muito útil para testar a possibilidade de transmissão sexual do vírus.

FonteFox News

Sobre o Autor - Lucas Rosa.png

Anúncios