Vacina experimental reduz o risco de coágulo de sangue pós-derrame

Uma nova vacina pode, no futuro, ser capaz de substituir diluidores de sangue no objetivo de reduzir o risco de derrames secundários causados por coágulos sanguíneos, sem aumentar o risco de sangramentos sérios ou acionar uma resposta autoimune no corpo, de acordo com a nova pesquisa da revista da Associação Americana do Coração, Hypertension.

Pessoas que já sofreram um acidente vascular cerebral por coágulos sanguíneos (acidentes isquêmicos) constantemente precisam de medicações para tornar o sangue mais difícil de coagular, o que ajuda a prevenir outros acidentes.

Pesquisadores japoneses conseguiram testar uma vacina experimental em ratos e descobriram que ela provê a proteção necessária ao sangue por mais de dois meses sem aumentar riscos adversos supracitados (respostas autoimunes ou hemorragia). A falta de uma resposta autoimune é importante pois significa que o sistema imunológico dos ratos não detectou a vacina como uma intrusa que precisava ser repelida, o que teria causado uma reação contra ela.

A vacina S100A9 inibe a formação de coágulos e, durante o estudo, protegeu as artérias dos ratos além de funcionar em uma das artérias principais tão bem quanto o diluidor sanguíneo oral clopidogrel, de acordo com Hironori Nakagami, M. D., Ph.D., co-autor do estudo e professor da Universidade de Osaka no Japão.

Desenvolver uma vacina para substituir ou complementar medicações diárias pode salvar muitas vidas e ajudar a prevenir tanto acidentes vasculares secundários quanto possíveis ataques cardíacos, de acordo com Nakagami.

“Muitos pacientes que sofreram derrames não tomam os medicamentos da forma prescrita, o que faz com que fiquem mais suscetíveis a sofrer um segundo derrame. Essa vacina pode um dia resolver esse problema já que requer apenas uma injeção periódica,” Nakagami explica.

“Nós estamos prosseguindo com a pesquisa na esperança de sermos capazes de dar início a testes clínicos entre cinco a dez anos no futuro, mas há diferenças entre ratos e humanos na forma na qual a vacina será reconhecida pelo sistema imunológico,” diz o professor. “Contudo nós devemos ser capazes de vencer esses obstáculos e acreditamos que essa vacina traz consigo uma estratégia promissora da prevenção de acidentes.”

Siga o Mural também no Facebook, no Twitter e no Instagram

###

Fonte da matéria: EurekAlert!
Fonte da imagem: Al Arabiya News

sobre-o-autor-gabriel-carvalho

Anúncios