Macacos Bonobos podem ser nossos parentes mais próximos

Um novo estudo revelou que os bonobos (Pan paniscus) podem ser mais próximos aos ancestrais da espécie humana do que se pensava. Estima-se que as linhagens evolutivas da espécie humana tenham se separado das dos chimpanzés (Pan troglodytes) e bonobos há cerca de 8 milhões de anos, tendo as linhagens das duas espécies que constituem o gênero Pan se separado há cerca de 2 milhões de anos atrás.

Apesar de serem divididos apenas pelo rio Congo, as diferentes características, tanto físicas quanto de comportamento, entre chimpanzés e bonobos, chamaram a atenção de pesquisadores.

A equipe do Centro Avançado de Estudo da Paleobiologia Humana da Universidade George Washington (EUA) estudou os músculos do bonobo e descobriu que esta espécie, habitante de florestas na Bacia do Congo, na África, é a mais aparentada ao ser humano anatomicamente, tendo seu sistema muscular mudado menos que o de nossos “primos” chimpanzés.

Essa teoria já tinha sido postulada como resultado de testes moleculares, mas esta é a primeira pesquisa a comparar a anatomia das três espécies.

“Os músculos do bonobo foram os que menos mudaram, o que significa que eles são o mais próximo que nós poderíamos conseguir de ter um ancestral vivo”. Disse Bernard Wood, professor de origens humanas no citado centro da Universidade George Washington.

O estudo também mostrou a ocorrência da chamada ”evolução em mosaico”: quando há partes do corpo que passam por mudanças a um ritmo próprio, sem haver transformações simultâneas em outras partes.

Rui Diogo, o principal autor do estudo, e professor de anatomia na Universidade Howard (EUA), considera que essa evolução anatômica pode estar relacionada à que ocorre em mosaico a nível molecular nas três espécies, de acordo com o que revelam estudos genéticos anteriores.

A equipe de pesquisa realizou o estudo em espécimes de bonobo que vivem no zoológico de Antuérpia, na Bélgica, aproveitando uma rara oportunidade, dada a condição de espécie em perigo de extinção dos bonobos.

Referência:

EurekAlert!

Crédito da Imagem:

Wikimedia Commons

sobre-o-autor-alejandro-rico

 

Anúncios