O que é Análise do Comportamento?

A Análise do Comportamento (AC) é uma ciência/área/teoria da Psicologia que tende a causar divergência entre alunos da graduação e ou interessados na psicologia, principalmente por sua visão de mundo, que é vista como antagônica pelos amantes da Psicanálise – que por sinal não é psicologia, posso entrar em mais detalhes depois. Logo, esse texto vem com o objetivo de diferenciar esses termos que são usualmente confundidos. Vamos lá!

Se você imaginar um organograma, a AC é o primeiro termo que vem lá em cima, como base para todos os outros termos que virão abaixo. É uma teoria psicológica desenvolvida principalmente por B. F. Skinner. Seus estudos são baseados em algo que conhecemos como “tríplice contingência” demonstrada por essa representação: Sd – R – Sr+. Então, o sujeito no ambiente que está inserido, recebe um estímulo antecedente, realizando assim uma resposta a esse estímulo que, por conseguinte, gera uma consequência. Não se preocupe, explicarei tudo isso melhor em próximos textos (História e desenvolvimento da AC, reforço, estímulo, resposta, consequência, modelagem, contingência, análise funcional, etc).

Para entender toda a complexidade de uma teoria, é necessário que se entenda os principais aspectos de sua fundamentação, assim, escolhi primeiramente diferenciar os termos base da AC.

A AC então pode ser entendida como uma ciência natural, que se utilizada da tríplice contingência, e que é dividida em três bases: Sua filosofia, de caráter também histórico, chamado por Skinner de Behaviorismo Radical, o conhecimento de teor empírico, teoricamente chamado de Análise Experimental do Comportamento e por fim, a Análise Aplicada do Comportamento que seria algo como a ciência com responsabilidade da aplicação dos conhecimentos da AE. Temos ainda a Análise Funcional do Comportamento, mas que decidi explicá-la melhor em uma próxima oportunidade, no qual tratarei dos principais termos citados acima.

O Behaviorismo Radical ou simplesmente BR, não é um behaviorista com uma HK47, e sim uma filosofia da AC. Abib (2001), relata que o BR não é apenas a filosofia da Ciência do Comportamento, mas sim uma filosofia da própria Ciência, pois suas pretensões vão além do caráter psicológico, ou seja, atribuindo legitimação e produção do conhecimento científico natural. Já para Skinner: “não é a ciência do comportamento humano, é a filosofia dessa ciência, a análise do comportamento”.

O BR, vem como proposta filosófica em oposição ao Behaviorismo Metodológico, postulado por Watson, que tem caráter fundamentalmente positivista. Aqui está uma das principais críticas descritas por desconhecedores da AC.

A Análise Experimental do Comportamento, ou AEC, é a responsável de conduzir a produção e validação de dados empíricos, como já dito, é a parte da teoria com esse caráter. A AC encontra na AEC o principal método de produção de seus conhecimentos, que é ainda de onde derivam os princípios que deram suporte para o BR.

Já a Análise Aplicada do Comportamento, ou AAC, se encontra no campo de intervenção planejada dos analistas do comportamento. Aqui, podemos englobar as principais práticas profissionais, como o trabalho na clínica, saúde, escola, organização. Para Tourinho (1999), “a Análise Aplicada do Comportamento é a ciência aplicada e tecnológica que por sua vez seria o braço responsável por administrar conhecimentos produzidos pela Análise Experimental do Comportamento e produzir intervenções de relevância social”.

Podemos então, da forma mais simples possível, definir a AAC como a responsável pela aplicação dos conhecimentos psicológicos.

Lembro que esse texto é meramente para que você não confunda mais esses termos, ou seja, é de caráter indispensável que caso queira se aprofundar nas informações, que pesquise das mais diversas formas possíveis, de preferências nas próprias fontes, como os diversos trabalhos desenvolvidos por Skinner, posso citar também o brasileiro João C. Todorov que é visto como referência aqui no Brasil como representante da AC.

Para encerrar: “A educação é aquilo que sobrevive depois que tudo o que aprendemos foi esquecido.” B. F. Skinner.

Mais informações:

MOREIRA, M. B. MEDEIROS, C. A. de. Princípios básicos de análise do comportamento. Porto Alegre: Artmed, 2007.

Psicologia Analítico Comportamental – O que é Contingência?

Psicologia Analítico Comportamental – O que é Análise Aplicada?

Siga o Mural também no Youtube, no Facebook, no Twitter e no Instagram

Sobre o Autor - José Renato

 

 

Anúncios