150 mutações por ano – Estudo mede dano causado pelo cigarro

Imagem de capa: Encontrada na Internet, autor desconhecido.

Este texto é uma tradução e adaptação de “Smoking a pack a day for a year causes 150 mutations in lung cells“, de Eurekalert.org.

Cientistas mediram o catastrófico dano genético causado pelo fumo em diferentes órgãos e identificaram vários mecanismos pelos quais o hábito de fumar causa mutações no DNA. Pesquisadores do Welcome Trust Sanger Institute, do Los Alamos National Laboratory e seus colaboradores descobriram que fumantes acumulam uma média de 150 mutações genética por ano, fumando um maço de cigarros por dia.

Publicado no periódico Science, o estudo providencia uma correlação direta entre o número de cigarros fumados ao longo da vida e a quantidade de mutações no DNA tumoral. Os maiores índices de mutação foram em cânceres de pulmão, mas tumores em outras partes do corpo também apresentaram estas mutações, explicando como o tabaco pode causar câncer em outras partes do corpo. O hábito de fumar já havia sido associado com 17 tipos diferentes de câncer, mas até agora ninguém tinha visto os mecanismos pelos quais o fumo causava estes diversos cânceres.

O câncer é causado por mutações no DNA celular, e o estudo comparou tumores de fumantes com tumores de pacientes que nunca haviam fumado. Eles observaram certas “marcas genéticas” nos tumores dos fumantes, e as utilizaram para contar as mutações. Os autores descobriram que, em média, fumar um maço de cigarros por dia leva à 150 mutações em células pulmonares a cada ano. Essas mutações representam potenciais “gatilhos” para uma cascada de danos genéticos que levam ao desenvolvimento de um tumor.

Outros órgãos também foram afetados – 97 mutações em células da laringe, 39 na faringe, 23 na boca, 18 na bexiga urinária, e 6 em células do fígado. Segundo professor David Philips, um dos autores do estudo e professor de carcinogênese ambiental no King’s College London, “mutações causadas por danos diretos ao DNA pelo tabaco foram observados principalmente em órgãos que entram em contato direto com a fumaça inalada. Outras células do organismo sofreram dano direto, pois o fumo parece afetar mecanismos importantes nessas células que, por sua vez, causam mutações no DNA”.

Os pesquisadores esperam que, com isso, entenda-se melhor o complexo mecanismo de carcinogênese (ou seja, surgimento do câncer) induzido pelo tabaco, e que o estudo demonstra que observar o DNA de células tumorais pode dar valiosas pistas para entender o surgimento de cânceres relacionados à outros fatores pouco compreendidos, como a obesidade.

Sobre o Autor - Lucas Rosa.png

Anúncios