Mudanças climáticas estão deixando o extremo norte da américa mais verde

Imagem de capa: NASA’s Goddard Space Flight Center Scientific Visualization Studio

O extremo norte do continente americano está ficando mais verde, de acordo com um estudo da NASA que forneceu um olhar mais detalhado na vida vegetal da região. Com as mudanças climáticas e o aumento da média de temperatura do planeta, cientistas observam que quase um terço da cobertura de solo da região – em grande parte tundra ártica – está se tornando cada vez mais parecida com as paisagens encontradas em ecossistemas mais quentes.

Ao analisar 87.000 imagens tiradas a partir dos satélites do programa Landsat – nomenclatura de um programa de satélite de observação da Terra de origem Norte americana, onde imagem são convertidas em dados que quantificaram a quantidade de vegetação saudável em solo, os pesquisadores descobriram que o oeste do Alasca, Quebec e outras regiões do extremo norte do continente tornaram-se mais verdes entre 1984 e 2012.

O novo estudo Landsat suporta ainda trabalhos anteriores do AVHRR (Advanced Very High Resolution Radiometer), outra técnica semelhante, que já havia mostrado a mudança da vegetação no Ártico e região boreal da América do Norte. O Landstat, porém, destaca-se por ser muito mais preciso – o Landstat realiza uma medição à cada 30m² de terra, ao passo que o AVHRR realiza uma à cada 4km².

climate_change

Apesar da confusão e ceticismo no público geral em relação ao aquecimento global, no meio acadêmico ele é reconhecido como um fato, e seus danos são facilmente perceptíveis. (Imagem: Retirada da internet, autor desconhecido, extraída de niu.edu)

O Landsat utiliza a quantidade de luz visível e infravermelho refletida pelo verde das folhas de vegetação como vegetação de gramíneas, arbustos e árvores para caracterizara-las. Programas de computador rastreiam cada pixel individual dos dados ao longo do tempo, assim os pesquisadores podem verificar se uma área está ficando mais verde – se mais vegetação cresce, ou se plantas individuais estão ficando maiores.

O aumento da vegetação no extremo norte da América pode parecer uma boa notícia, mas na verdade é um reflexo alarmante do degelo da região e principalmente das mudanças climáticas do planeta como o aumento da temperatura global, inclusive de regiões tipicamente frias.

Fonte: NASA

Sobre o Autor - Mário

Anúncios