A inteligência artificial sabe dos seus gostos, e está a um olhar de distância

É comum dizer que os olhos são a janela da alma, podendo revelar o que pensamos e como nos sentimos. Agora, uma nova pesquisa também revela que nossos olhos podem ser indicadores de nossos traços de personalidade, analisados através de seu movimento.

“Certamente há potencial para esses resultados melhorarem a interação humana com máquinas,” diz o doutor Loetscher. “As pessoas estão sempre desejando serviços bem desempenhados e personalizados. Contudo, as interfaces de hoje não são socialmente conscientes, então são incapazes de adaptarem-se a estímulos não-verbais.”

“Esta pesquisa abre o caminho para oportunidades de desenvolvimento em computadores e robôs, para que possam se tornar mais naturais e melhores nas suas tarefas de interpretar sinais sociais humanos.”

Dr. Loetscher também diz que os resultados servem de ponte entre os rigidamente controlados estudos em laboratório e a ciência do estudo natural dos movimentos oculares em ambientes do mundo real.

“Essa pesquisa determinou e mediu o comportamento visual de pessoas em suas rotinas diárias, nos dando resultados bem mais naturais do que em um estudo confinado. E graças ao nosso método de aprendizado usando máquinas e algoritmos, não apenas validamos a importância da personalidade no padrão de movimentos oculares na vida cotidiana, mas também revelamos novas características que são capazes de prever traços de personalidade.”

Siga o Mural também no Facebook, no Twitter e no Instagram

##

Fonte da matéria: EurekAlert!
Fonte da imagem: BGR

sobre-o-autor-gabriel-carvalho

Anúncios