Suplementos não ajudam a melhorar a saúde do seu coração

Seja a saúde cardiovascular, a prevenção de infartos ou a morte causada por eles, os multivitamínicos e suplementos minerais não têm um grande papel positivo em dadas situações, de acordo com uma análise de dezoito estudos publicados na Circulation: Cardiovascular Quality and Outcomes, uma revista da Associação Cardíaca Americana.

“Nós avaliamos meticulosamente o escopo da evidência científica,” disse o autor do estudo Joonseok Kim, M.D., professor-assistente de cardiologia no Departamento de Medicina na Universidade do Alabama em Birmingham. “Não encontramos nenhum benefício clínico de qualquer multivitamínico usado para prevenir doenças do coração.”

A equipe de pesquisa desenvolveu uma meta-análise, reunindo os resultados de dezoito estudos individuais, incluindo testes controlados e seus estudos prospectivos, totalizando um número de participantes que supera os dois milhões, com uma média de doze anos de acompanhamento. Nenhuma associação entre o uso de vitamínicos ou suplementos minerais e o risco reduzido de uma morte cardiovascular foi encontrada.

“Tem sido excepcionalmente difícil convencer as pessoas, incluindo pesquisadores nutricionais, de que devem estar cientes dessa falta de conexão,” disse Kim. “Espero que nossos estudos ajudem a reduzir a fama que permeia os multivitamínicos, e que também possam encorajar as pessoas a adotarem outros métodos mais saudáveis, como simplesmente o hábito do exercício, a ingestão de frutas ou evitar o tabaco.”

De acordo com a Administração de Comidas e Medicamentos dos Estados Unidos, diferente dos remédios, não há qualquer agência que possa regulamentar e “aprovar” os suplementos de dieta ao público como seguros ou eficazes antes que eles cheguem ao consumidor. Nem mesmo o rótulo precisa conter avisos de saúde alertando para como mitigar, curar ou prevenir alguma doença. Um número próximo de 30% de todos os americanos usam tais suplementos, deixando a indústria dos vitamínicos com um lucro de 278 bilhões de dólares esperado para 2024.

A controvérsia a respeito da sua eficácia vem sendo discutida por anos, apesar de numerosas pesquisas bem conduzidas dizendo que não há resultado positivo. Os autores então foram atrás de resultados de estudos prévios, para ajudar a tornar o assunto mais claro.

“Apesar de estes suplementos, se tomados com moderação, raramente causarem males diretos nós pedimos às pessoas para cuidarem melhor da sua saúde vascular entendendo seu risco individual para o coração. Pedimos que busquem auxílio de um profissional de saúde para criar um plano que leve em consideração meios comprovados para prevenir doenças cardíacas e seus riscos. Isso inclui uma dieta saudável, abandono do tabaco, controle de pressão sanguínea e níveis de colesterol e, quando necessário, tratamento médico,” disse Kim.

A Associação Cardíaca Americana não recomenda o uso de suplementos e multivitamínicos na prevenção de doenças cardíacas.

“Faça uma dieta saudável, para um coração saudável e para uma vida saudável,” diz Eduardo Sanchez, M.D., médico-chefe da Associação e chefe dos Centros de Avaliação e Métricas de Saúde, que não fez parte deste estudo. “Não há nenhum substituto para uma dieta balanceada e nutritiva com mais frutas e legumes e que exceda calorias, gordura trans e saturada, sódio, colesterol e açúcar.”

Siga o Mural também no Facebook, no Twitter e no Instagram

###

Fonte da matéria: EurekAlert!
Fonte da imagem: Dicas de Musculação

sobre-o-autor-gabriel-carvalho

Anúncios