Presos na natureza (para sempre)

Em Hancock Park, no centro da cidade de Los Angeles na Califórnia encontra-se o rancho La Brea. O local possui dezenas de piscinas de um material pegajoso e escuro, que o homem, no passado, começou a utilizar para pavimentar estradas. O que ninguém esperava é que fossem encontradas ossadas ali, milhares delas!

O betume, derivado dos depósitos de petróleo da Bacia de Los Angeles, brota do solo em diversos locais e forma piscinas cheias dele. Este material escuro possui também bolhas, causadas por atividade bacteriana presente no material, que o consomem e liberam gás metano, chamadas de arqueobactérias metanogênicas. Entretando, por conta da sua alta densidade fica coberto por folhas, poeira e até mesmo camadas de água, fica camuflada, fenômeno que ocorre há milhares de anos. Isso confundia os seres vivos do local, que acabavam afundando e ficando presos. A profundidade destas piscinas pode variar e é possível encontrar nelas desde microfósseis a até mesmo grandes predadores. O que acontece é que estes animais morrem no local mas tem partes do seu corpo(geralmente seus ossos) fossilizados. Datações revelam que o fóssil mais antigo encontrado tem cerca de 38.000 anos e, ainda hoje, muitos seres vivos ficam presos no local. É importante ressaltar que para ser considerado um fóssil (restos ou registros de vida antiga preservados) deve ser datado como anterior ao Holoceno, cerca de 11,5 mil anos atrás. Mesmo assim, a preservação de qualquer animal de qualquer época é importante para a ciência compreender o ambiente em que ele vivia, e o próprio organismo.

Uma peculiaridade de La Brea é um número de preservação de predadores muito maior que o número de preservação de presas. Algumas teorias tentam explicar isto. Uma delas sugere que uma única presa morta ali poderia atrair diversos predadores diferentes até o local. Outra, sugere que, no caso do lobo pré-histórico, os organismos sejam presos durante uma caçada de um único animal por um bando. De qualquer forma, no locais são encontrados microfósseis, insetos fossilizados, plantas, grãos de pólen, fósseis de mamutes, de lobo-pré-histórico, de ursos, de preguiça-gigante e até mesmo de um incomum tigre-dente-de-sabre. Ademais, partes de um esqueleto de uma mulher foram encontrados e datados de 9.000 a.C..

No próprio rancho de La Brea encontra-se a La Brea Tar Tips & Museum, onde pode-se visitar os lagos de betume, bem como reconstruções do que acontecia os processos de fossilização,  ver trabalhos de pesquisas do leal e também ver os inúmeros fósseis encontrados ali.

FONTES:
http://detetivesdopassado.colecionadoresdeossos.com/
http://www.tarpits.org/

Anúncios