Cientistas Brasileiros Afirmam que Dieta Intermitente Pode Aumentar Riscos de Diabetes

Traduzido de EurekAlert!

Jejuar dia sim, dia não para perder peso prejudica a ação do hormônio regulador de açúcar, insulina, o que pode aumentar o risco de diabetes, de acordo com dados apresentados em Barcelona no encontro anual da Sociedade Europeia de Endocrinologia, ECE 2018. Esses resultados sugerem que dietas baseadas em jejum pode estar associadas a riscos de saúde a longo prazo e deve-se ter cuidado antes de decidir entrar em um programa para perda de peso.

Diabetes tipo-2 é uma crescente epidemia global que é comumente atribuída à má alimentação e estilo de vida sedentário, então está fortemente ligada à obesidade. O açúcar no sangue é parcialmente regulado pelo hormônio insulina, produzido no pâncreas. Se os níveis de insulina estiverem muito baixos, ou o corpo se torne resistente aos seus efeitos, causam diabetes tipo-2 e altos níveis de açúcar no sangue podem gerar sérios problemas de saúde, incluindo danos ao coração, rins e olhos. Em conjunto com estratégias médicas utilizadas para tratar a diabetes tipo-2, os pacientes também são aconselhados a fazer mudanças na dieta e no estilo de vida para perder peso. Recentemente, dietas de jejum intermitente têm ganhado popularidade para perda de peso, entretanto, as evidências do seu sucesso têm sido contraditórias e há uma escassez de informações e debate no seu potencial negativo na saúde em longo prazo. Pesquisas anteriores mostraram também que jejum de curto prazo pode produzir moléculas denominadas radicais livres, que são altamente reativas e podem causar dano ao corpo a nível celular e podem se associar a problemas no funcionamento dos órgãos, risco de câncer e envelhecimento acelerado.

Para investigar se a dieta de jejum intermitente pode gerar radicais livres danosos à saúde, Ana Bonassa e sua equipe, da Universidade de São Paulo(USP), examinaram os efeitos de jejuar dia sim, dia não no peso corporal, níveis de radicais livres e função da insulina em ratos adultos normais, num período de três meses. Embora o peso e quantidade de alimentos ingeridos pelos ratos tenham diminuído durante o período de estudo, a quantidade de tecido adiposo em seus abdômens aumentou. Além disso, as células do pâncreas que liberam insulina apresentaram dano, com a presença de níveis aumentados de radicais livres e marcadores de resistência à insulina também foram detectados.

Ana Bonassa comenta, “Este é o primeiro estudo a mostrar que, apesar da perda de peso, dietas de jejum intermitente podem na verdade danificar o pâncreas e afetar a função da insulina em indivíduos normais e saudáveis, o que pode levar à diabetes e sérios problemas de saúde.

Os pesquisadores agora planejam investigar como essa dieta prejudica o pâncreas e função da insulina. Existem muitos estudos conflitantes quanto aos benefícios e desvantagens, e muitos tipos diferentes de dietas de jejum intermitente. Embora os dados foram obtidos em ratos saudáveis com efeitos positivos no ganho de peso e consumo de alimentos, os resultados sugerem que podem ser causados danos no longo prazo e mais estudos são necessários para entender como as pessoas são afetadas, particularmente as que possuem problemas metabólicos.

Ana alerta: “Devemos considerar que pessoas obesas ou acima do peso que optem por dietas de jejum intermitente devem já possuir resistência à insulina, então mesmo que essa dieta cause perda de peso precoce e rápida, no longo prazo podem haver sérios danos à saúde, como o desenvolvimento de diabetes tipo-2”.

Siga o Mural também no Facebook, no Twitter e no Instagram

Fonte:

Could intermittent fasting diets increase diabetes risk? https://www.eurekalert.org/pub_releases/2018-05/esoe-cif051618.php

sobre-o-autor-gabriel-deschamps

Anúncios